Investimento de condomínios em segurança para moradores

A preocupação com segurança e em viver em um local seguro é algo que está sempre como um dos principais […]

13 de outubro de 2020

A preocupação com segurança e em viver em um local seguro é algo que está sempre como um dos principais quesitos ao se buscar uma qualidade de vida. É no ambiente domiciliar que se necessita encontrar o porto seguro. Por isso, cada vez mais, cresce a procura pela moradia em condomínios fechados. Mas para que o desejo de segurança seja alcançado, é necessário que o condomínio seja munido de táticas e comportamentos que garantam este bem-estar.

De acordo com o diretor do Grupo Atitude, Paulo Aragão, algumas medidas e pontos devem ser observados e colocados em prática para que isso aconteça. O primeiro está na seleção e treinamento da mão de obra que fará parte dos funcionários que trabalharão em cada local. “É preciso ter rigidez na hora de contratar alguém, com uma busca minuciosa para saber quem é a pessoa, treinar para o cargo, qualificando a mão de obra para que fique bem capacitada e transmita segurança aos moradores”.

Faz-se necessário, também, um investimento na tecnologia, em um sistema de segurança de alta qualidade, com controle de acesso e câmeras por todo o ambiente do condomínio. A cada dia, novas oportunidades de tecnologia avançada são criadas. “Hoje em dia, já temos sistema de segurança com QRCode, por exemplo. Aliando a isso a equipe bem treinada, com porteiros bem capacitados, torna-se uma união de forças”, citou o diretor do grupo que atua há 15 anos com serviço de mão de obra terceirizada, administração e segurança condominial.

“Outra dica que, às vezes, pode passar desapercebida, é com relação às rotinas bem definidas. É importante que se evite entrar prestadores de serviço ou, caso seja realmente necessário, que seja feito um cadastro dos prestadores, com uma identificação devida e rigorosa, seguindo todos os protocolos de segurança, respeitando às normas e horários. Mas o ideal é evitar, ao máximo, a entrada de desconhecidos no condomínio”, alerta Aragão.

A infraestrutura do condomínio como um todo, também, deve ser destacada como um dos principais pontos. É necessário que ter um bom portão automático com manutenção em dia, para evitar contratempos, por exemplo, com um morador que precisa chegar fora de hora em casa; cerca elétrica não pode deixar de estar funcionando; os muros acima de 3,5 metros; e eclusa, para que, também, quem chega possa ter segurança e para evitar um contato direto com o porteiro.

Por fim, algo que seria um diferencial é a possibilidade manter, dentro do condomínio, segurança armada. “Você sentir que está seguro 24 horas, com segurança fazendo ronda dentro do ambiente que você mora é de suma importância”, destacou o diretor.

Segundo Paulo, “sabemos que existem condomínios que podem ter todas estas dicas de segurança, outro não, mas importante é que, dentro da sua realidade particular, cada condomínio disponibilize uma atenção especial para a segurança”.